XII JORNADA ESPACIAL - ABERTURA (SEGUNDA-FEIRA 08/12 ) 
 
O Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (CLBI) recebeu de 07 a 12 de dezembro a XII Jornada Espacial. A programação contou com a palestra do primeiro astronauta brasileiro, Marcos Pontes, que falou sobre a experiência na Estação Espacial Internacional.
 
CONFIRA ALGUMAS FOTOS  acesse: www.facebook.com/colegiomastercba 
 
Os alunos, tanto de instituições públicas como de particulares, foram selecionados a partir do desempenho que tiveram nas questões de Astronáutica da prova da XVII OBA realizada em 2014. A iniciativa tem como objetivo estimular o interesse dos jovens pelas ciências espaciais, além de capacitar professores nas ciências aeroespaciais e em astronomia.
 
Segundo o professor João Batista Garcia Canalle, coordenador nacional da OBA, a jornada mostrou aos jovens detalhes e curiosidades dessa disciplina, além de possibilitar conhecimento do programa espacial brasileiro.
 
 Os participantes cobheceram as atividades do CLBI, entenderam o funcionamento dos veículos suborbitais, do balão meteorológico, aprenderam a interpretar dados de satélites e como funciona o GPS. Além disso, os professores tiveram atividades lúdicas de capacitação sobre o ensino da astronomia em sala de aula, como, por exemplo, elaboração e lançamento de foguetes de garrafa pet.O ponto culminante do evento foi o lançamento de um foguete no CLBI no terceiro dia.
 
 
VISITA AO CLBI E CCEIT 
Em 2011 ao completar 46 anos de existência, o Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (CLBI) inaugurou, no dia 04 de outubro, com uma solenidade marcada pela presença de autoridades, o Centro de Cultura Espacial e Informações Turísticas (CCEIT).
 
 O CCEIT é fruto de uma parceria entre o CLBI e a Prefeitura de Parnamirim/RN. Aberto ao público, funciona como um espaço de cultura e pesquisa, contando, inicialmente, com painéis fotográficos, peças originais e réplicas de foguetes lançados na Barreira do Inferno, lançadores, antenas e radares meteorológicos e de telemedidas, além de um avião AT-26 – Xavante, de fabricação brasileira, que desempenhou um importantíssimo papel no desenvolvimento da indústria bélica do País.
 
 As peças em exposição traduzem alguns dos principais acontecimentos da história do CLBI e são resultado de um intenso trabalho de pesquisa, restauração e recuperação do acervo do Centro, realizado pela equipe do projeto “Preservação , inventário e difusão dos acervos científico e tecnológico aeroespacial do Programa Espacial Brasileiro no CLBI”.
 
O projeto, financiado pela Agência Espacial Brasileira (AEB), em convênio com o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e o Ministério da Aeronáutica, por meio do CLBI, tem como objetivo preservar os bens patrimoniais e culturais do Centro de Lançamento. Além de expor as peças para o público que visita o litoral sul do Rio Grande do Norte, o Centro de Cultura Espacial nasce para disseminar o conhecimento científico e tecnológico, contribuindo para o desenvolvimento local, regional e nacional.
 
 Com isso, o CLBI passa a compartilhar sua própria história e a história da atividade espacial no País, apresentando a importância e os benefícios dos avanços tecnológicos resultantes dessa atividade, estimulando o desenvolvimento de pesquisas espaciais e formando futuras gerações de pesquisadores.
 
PALESTRA COM O ASTRONAUTA MARCOS PONTES-MISSÃO CENTENÁRIO 
Nascido em Bauru, SP, em 11 de março de 1963, começou a trabalhar aos 14 anos como eletricista aprendiz na RFFSA para ajudar em casa e pagar pelos seus estudos.
 
Entrou na Força Aérea Brasileira em 1981. Como militar, além de funções administrativas, foi instrutor, líder de esquadrilha de caça e piloto de testes. Possui mais de 2 mil horas de voo em 25 tipos de aeronave, incluindo F-15 Eagle, F-16 Falcon, F-18 Hornet e MIG-29 Fulcrum. Tem 25 anos de experiência em Segurança Operacional, na prevenção e investigação de acidentes.
 
 É engenheiro aeronáutico formado pelo Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA) e mestre em Engenharia de Sistemas pela Naval Postgraduate School, Califórnia, EUA.
 
Suas funções militares encerraram em 1998, ao ser selecionado por concurso público da Agência Espacial Brasileira para representar o Brasil na NASA na função de astronauta, que é carreira civil.
 
 Na NASA, o engenheiro Pontes trabalhou no gerenciamento de projetos, na verificação de softwares e procedimentos da Estação Espacial Internacional (ISS), na atualização dos painéis dos ônibus espaciais, na investigação do acidente da espaçonave Columbia, no desenvolvimento das interfaces de comando do Módulo da Acomodação da Centrífuga e no projeto e testes de integração do Módulo Laboratório Japonês (KIBO) da ISS, em Tsukuba, Japão.
 
 Em março de 2006, Marcos Pontes realizou a primeira missão espacial tripulada da história do Brasil, a Missão Centenário: permaneceu no espaço por dez dias e tornou-se o primeiro astronauta do Brasil. Ele também é o primeiro astronauta profissional à disposição de um país do hemisfério sul do Planeta.
 
Como Astronauta Profissional Especialista de Missão, suas funções a bordo da Estação Espacial Internacional incluíam primordialmente a montagem, manutenção e configuração de sistemas, além da execução de experimentos científicos do Brasil e de outros países do programa.
 
 Entre mais de 7 bilhões de habitantes da Terra, menos de 600 chegaram ao espaço.
 
 Após a realização da Missão Centenário, a exemplo do que foi feito com seus companheiros internacionais de missão, a Aeronáutica determinou a transferência de Pontes para a reserva militar para dar continuidade às funções civis da carreira de astronauta em cargos de maior influência político-administrativa.
 
 Na reserva militar, caso seja de interesse do Brasil, Marcos Pontes pode ser designado pelo Governo para assumir diversas funções ou cargos na administração pública, incluindo no Programa Espacial ou na estrutura militar, como no Comando da Aeronáutica, ou no Ministério da Defesa, Educação ou Ciência, Tecnologia e Inovação. Caso necessário, ele também pode criar e gerenciar entidades de terceiro setor, ou candidatar-se a cargos políticos eletivos.
 
 Atualmente, continua à disposição do Brasil como Astronauta.
 
 Além disso, é Palestrante, Coach de desempenho pessoal e profissional, Empresário, Escritor, Embaixador da ONU para Desenvolvimento Industrial, Embaixador da WorldSkills para educação profissionalizante, Professor, Pesquisador, Diretor do Instituto Brasileiro de Segurança Operacional e Presidente da Fundação Astronauta Marcos Pontes.
 
 Tem mais de 200 artigos publicados em jornais e revistas e é o autor de 3 livros: “Missão Cumprida. A história completa da primeira missão espacial brasileira”, “É Possível! Como transformar seus sonhos em realidade” e “O Menino do Espaço. A história do Primeiro Astronauta Brasileiro”, todos publicados pela editora Chris McHilliard do Brasil.

Redes Sociais