SEGURANÇA NA INTERNET

Segurança na internet: Veja como proteger seus filhos!

A segurança na internet é uma preocupação frequente dos pais nessa era digital. Apesar de a tecnologia ser indispensável, o mundo virtual também oferece perigos para crianças e adolescentes, assim como o mundo real.

Dados de uma pesquisa feita pelo Google mostraram que, em média, as crianças ganham aos 10 anos o primeiro dispositivo conectado à internet e que a maioria dos pais entrevistados acredita que os filhos devam aprender sobre segurança na internet a partir dos 8 anos de idade: quanto mais cedo eles forem ensinados a fazer o uso adequado, mais consciência eles terão sobre os seus perigos.

Portanto, confira abaixo medidas de segurança na internet que vão ajudar você a prevenir o seu filho de riscos on-line:

  1. Converse sobre segurança na internet: o diálogo é o principal meio de garantir proteção. Fale sobre as possibilidades da internet e esteja aberto a ouvir também! É importante o estímulo à conversa sobre o que se gosta de fazer, quais sites costuma acessar, os jogos que acha mais divertidos e as pessoas com quem a criança se conecta nas redes;
  2. Explique sobre privacidade: educar da melhor forma significa explicar o porquê das coisas. Não adianta só dizer “não adicione pessoas estranhas” ou “não compartilhe o endereço de casa”. É preciso explicar sobre o risco ao qual se é exposto ao compartilhar informações pessoais. Dê exemplos de casos em que esse tipo de dado foi usado em ações criminosas;
  3. Observe comportamentos: são comuns os casos em que a criança está enfrentando um problema, como o assédio virtual, mas não consegue contar aos pais. Por isso, fique atento a comportamentos para garantir que está tudo bem. Se notar ansiedade e nervosismo quando você se aproxima, talvez haja um problema. Tente conversar, sem julgamentos, para entender o que está se passando;
  4. Estabeleça regras: após conversar sobre as responsabilidades de ter um dispositivo em mãos, estabeleça regras em relação a quando, onde e como usar o aparelho. Mostre que regras não foram criadas só para controlar, mas, principalmente, para garantir que o aparelho seja usado de forma saudável;
  5. Acompanhe o histórico de navegação: verifique quais sites e conteúdos são acessados. Caso se depare com conteúdos inapropriados, a conversa é a saída. Evite usar um tom de bronca; em vez disso, explique claramente o porquê de não acessar tais tipos de conteúdo na internet;
  6. Filtre conteúdos: os dispositivos mais recentes já oferecem funcionalidades que limitam o acesso a determinados conteúdos a partir de um perfil. Dessa forma, você elimina o risco do acesso a algo impróprio para a idade. Esse controle também pode ser feito nas lojas de aplicativos. Assim, as crianças só conseguem baixar os adequados para sua idade;
  7. Proteja seu filho contra cyberbullying: o bullying virtual não acontece só entre colegas nas redes sociais. O bullying também se dá em outros ambientes, como os jogos on-line, onde algumas pessoas entram apenas para insultar outros jogadores. Converse sobre isso, mostre que esse tipo de problema existe;
  8. Seja o exemplo: os pais costumam ser os maiores exemplos para os filhos. Portanto, não tenha comportamentos que você não quer que seu filho reproduza. Apresente outras atividades para que ele não acabe preso ao universo virtual. O mais importante é que vocês façam essas atividades juntos! Leve seu filho para passear e invente outras brincadeiras!

Com essas medidas e uma boa orientação, a tecnologia se transforma em uma aliada ao dia a dia de sua família!

Em breve traremos novas comunicações. Não deixe de acompanhar! 🙂

Um abraço,

MASTER.

Escrito por:
Colégio Master


Posts relacionados: